Total de visualizações de página

terça-feira, 14 de junho de 2011

Paráclito...

Depois de muito tempo... Após muita reflexão... E de inúmeras absorções de pensamentos, quer tenham sido pela leitura, quer tenham sido da própria observância das palavras espalhadas no ar, eis que retomo as atividades... E com um ponto extraordinário advindo da sabedoria de um simples homem, com sabedoria os mais belos ensinamentos... Em seguida, com ocorridos nesses últimos dias desde a consagração... Principalmente por ontem, após ficar demasiadamente admirado com a história de Santo Antônio de Pádua...
No quadragésimo nono dia, na vigília das novas comunidades, preparávamos, todos, os corações para compreender o que seria o fenômeno de "algo" que chamam, muitos, de "Espírito Santo"... Alguns se questionam, alguns idealizam... E muitas vezes - na maioria absoluta, em verdade – erroneamente. O próprio termo suscita pensamentos diversos caso não tenhamos cuidado. Sendo assim, portanto, aquele homem de pequena estatura, de corpo delgado e muito aparentemente debilitado por conta das atividades, explanou divinamente sobre o tema, dando-nos uma visão muito mais concreta do que viria a ser o que não podemos ver. Biblicamente falando, as sagradas escrituras já mencionam que não podemos esperar nada daquilo que vemos, mas, do contrário, só esperamos aquilo que não vemos, pois, sendo o oposto, não seria esperar algo... A profundidade do tema é imensa... E muitos não "perderão tempo" buscando sua compreensão.
"O Espírito Santo não é AQUILO que se sente quando se vai a um grupo qualquer de oração e se sai mais 'leve', com bem-estar... Sinto muito, mas o Espírito Santo é a ação concreta do que é PERTINENTE AOS SACRAMENTOS...". Foi chocante, certamente, para muitos. Quase 100% discordou... E eu me sentia um excluído, pois não pensava como os 99%... Eu não queria, imediatamente, fazer parte do pequeno número, mas ao conhecer a história de Santo Antônio de Pádua (no dia 13/06/2011 às 23hs, isso mesmo, dia de comemoração do mesmo santo), pude compreender, em minhas misérias, em minha pequenez, o que, de fato, e onde agia o Paráclito.
São Francisco de Assis afirmava docemente que "só compreende o divino, só conhece o verdadeiro significado do amor aqueles que são ignorantes...". E é verdade... E Santo Antônio de Pádua, grande intelectual da ordem Agostiniana, em meio aos irmãos franciscanos que viviam pela pobreza para viver o CRISTO nos seus semelhantes, sentia-se deprimido e solitário, pois ele cria jamais poder conhecer a Deus... 
E meu coração se partiu... Pois ali foi um momento único e mais que peculiar para Santo Antônio...
"Não se pode viver o Espírito Santo, nem suas ações plenas senão por intermédio dos sacramentos..." Claro, claríssimo. Temos 7 sacramentos - dirijo-me aos católicos; às demais crenças, não se preocupem! Cobro, simplesmente, de mim e daqueles que DIZEM viver o catolicismo de Cristo; ademais, paz a todos vocês - e o único meio de se receber o Espírito Santo é através do primeiro de todos eles: o Batismo. Estou errado? Creio ser esse o sacramento pregado universalmente em toda estrutura que se diz CRISTÃ. Se não o fosse, não havia necessidade de João Batista ter vindo dizer que "virá aquele que batizará com o Espírito, pois ele batiza com água apenas"... Procede?! Belíssimo... Cristo vem para que tenhamos vida e vida em abundância, para que TODOS comamos e bebamos da Sua CARNE e SANGUE respectivamente... Para quê? Por quê?!
EUCARISTIA... "Eu" é um termo que significa "verdadeiro" e "cario" significa "corpo", logo, verdadeiro corpo... Ou, simplesmente "Hóstia", que vem do latim e significa "vítima", uma referência à tradição judaica, na qual se imolava um cordeiro novo e sem mácula alguma... Alimentar-se da EUCARISTIA é fazer valer a potência do Espírito. Ausentar-se da casa do Pai, isto é, convenientemente ALEGAR que "não preciso estar na missa, no culto, (sei lá mais onde) para rezar" é NEGAR a ação do Espírito Santo, procede?! A própria Torá nos entrega (de mão beijada) o decálogo que nos adverte a guardar o dia do Senhor. A partir do momento que eu NEGO, estou não somente infringindo uma "lei", mas negando Àquele que "vive e reina dentro de mim". 
E foi com a bondade que havia no coração daquele homem (santo Antônio de Pádua no ano 1220 e sua imagem contemporânea), que eu pude perceber a maravilha de se lutar por aquilo em que se crê. Não me importa se muitos criticarão essas palavras medíocres que estão sendo expostas neste esboço... Não me importa o número de pessoas que quererão entrar em conflito comigo por conta desse texto... Mas foi como o próprio santo Antônio fez ao querer ir para a África a pregar e anunciar a Boa nova, assim como irmãos franciscanos foram decapitados... Não importa... Existe um chamado... A tudo na vida... A qualquer coisa... Às drogas... Às farras... A viver por morrer de tanto criticar só por criticar, de ser do contra só por ser, sem fundamento... De querer anunciar que "ser um conhecedor não leva ao Espírito Santo" (santo Antônio provou o contrário, assim como tantos e tantos e tantos e infindáveis e numerosos padres o fazem nos tempos de hoje)... Não importa... Como posso falar daquilo que não sei? Como posso anunciar o que não domino com o tônus da minha alma... Como posso, enquanto CRISTÃO, permanecer estático (que redundância!!)????? "Quero tudo, mas não só o que me convém" Essa foi a lei?! Não!!! "Tudo posso, mas nem tudo me convém!"... "O mundo fez com que caíssemos..." Não, o mundo não fez nada... O mundo sempre ofereceu tudo... E nós PREFERIMOS aceitar esse "tudo"... Que ensoberbece, que envaidece, que nos faz querer estar nos pedestais, no glamour, feito pseudo-estrelas... Somos frágeis... E não percebemos (será???)... E o conhecimento, que é dom de CIÊNCIA (e me desculpem os que são contra... risos) servirá para quê?
Como disse santo Antônio no milagre dos peixes: "Se os que dizem ter sabedoria, os animais dotados de inteligência não me ouvem, vós que sois dotados de alegria, pois Deus vos deu o mar, o ar e o alimento para que vivessem, atendei o meu humilde pedido e ouvi a verdade do QUANTO DEUS VOS AMA!!" e simplesmente toda a natureza responde, de maneira "inexplicável"... Rogo o mesmo... Temos tantos STATI e, ao refletir, não temos nada... Se não houver homem algum para ouvir o que Deus fala, façamos como santo Antônio de Pádua (o mesmo que citei durante o texto), como são Francisco de Assis que pregaram, conforme as escrituras, aos seres de toda espécie (isso é uma forma de dizer: não tema, vá a qualquer lugar...). Que não seja um "radicalismo" visto à olhos curtos, mas na essência da "raigo"... Isso ficará no ar... Para que todos possamos refletir em nossas limitações...
Que Deus esteja com todos e que não falte Ágape em nosso coração...
Paz e bem...

2 comentários:

  1. olá amigo!
    lendo seu texto vejo que temos muito que aprender com Santo antônio, e tb com S. Francisco!

    Também por aqui passamos por dificuldades mas acreditando e sendo obedientes a Deus e a Santa Igreja venceremos! Que o Espírito Santo Paráclito sempre esteja do seu lado!

    abraços fraternos!

    só uma obs.: mudei o link do blog!
    http://canticospelapaz.blogspot.com/
    é o mesmo, mas ao mudar o link antigo expirou
    agradeço por manter meu link no seu blog
    ainda tenho o seu link no meu!

    mudei o nome pois após longas postagens de meu trabalho poético, quero direcionar postagens edificantes de cunho religioso tb!

    ResponderExcluir
  2. Estimado amigo, muito obrigado!! Suas palavras me são mais que importantes!! A essência é divida!! Deus o abençoe sempre!! Paz e bem!!

    ResponderExcluir