Total de visualizações de página

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Da Arte (não sei se seria melhor "da música")

Estava lendo alguns blogs... na verdade... tentando absorver algumas informações... das mais diversas...
Li de Veríssimo à Kiko Loureiro... (risos) e fiquei espantado, pois chamou muito a atenção uma postagem crítica acerca dos guitarristas. A priori fora estarrecedor... suavizando-se corriqueiramente. Absorvendo a idéia, foi como um tiro n'alma. Ter que imaginar, "aceitar" para não ser congruente, e transcender... Adentrando o conteúdo temático, o que de fato se pode fazer com doze notas?
É impressionante como o mundo da música nos é generoso. A música existe desde sempre na história da humanidade (inclusive biblicamente falando..."os músicos irão à frente dos exércitos..." belíssimo). Ao se iniciar o estudo da música, deparamo-nos com um universo de conceitos, técnicas, pensamentos, "fraseados", dicas, truques... Ficamos estupefatos. O que fazer diante de um oceano de coisas a se descobrir?! Fácil!! Vamos copiar!!! ¬¬' (isso mesmo, a "carinha" ou "smile" de Tenso ou chateação...) O mundo, vou me ater ao guitarrístico, está lotado de "máquinas xerográficas". Ninguém parece ter mais competência alguma para criar... ou, então, houve uma queda no comodismo.
Disse Santo Agostinho uma célebre frase que ser para nós, músicos: "A música é o ÚNICO instrumento concretamente humano que consegue atingir diretamente a alma". E o que fazer?! O que fazemos dela? Simplesmente nada. Escalamo-nos em plantões de mesmície e adentramos numa esfera compacta e subtamente "amórfica" (já que chamei de esfera, poderá soar incoerente...kkk) de repetições sem desperdício ou prejuízo na compra de cd's e dvd's, quer sejam as mídias, quer sejam os aparelhos executores.
Tocar não é para muitos, mas está aberto a todos. É um direito inerente ao ser humano. Ainda que muitos creiam não ter "dom" para isso (para mim, EM OPINIÃO E EXPERIÊNCIA, é um meio absurdamente incoerente e hipócrita de fugir do compromisso, do trabalho árduo do exercício e do estudo... lembrando que isto serve para os que estudam música; do contrário, estaria afirmando que o estudo da música é obrigatório a todos, juntamente com os sacrifícios edificantes e etc!), a música é um convite a todos. Não limita ninguém a nada! Do contrário!! É expansor de conhecimento lógico e sensível.
No referente blog havia uma crítica singular aos "reprodutores" musicais: seriam aquelas pessoas que sabem CLONAR muito bem aquilo que já fora criado, e ainda o fazem com primazia, mas não saem disso. Quer prova?! Basta mandar improvisar algo em cima de qualquer centro tonal, numa base qualquer! (Isso significa tocar algo sobre um "tom" qualquer, a grosso modo, para que todos possam compreender mais facilmente...) E se houver empréstimos modais?! SANTO JESUS!!! Seria um verdadeiro fim...
Enquanto lia o blog, deparava-me com o que percebo em muitos alunos que recebo na escola em que leciono. É fato: causa imensa tristeza. Há muitas obras maravilhosas, não se pode negar... mas não podemos nos ater a isso! É como poesia!! Vinícius de Moraes escreveu "Soneto do Amor Total" e pronto!! Acabou!! Podemos lê-lo em seus escritos, declamá-lo à pessoa amada, mas nós temos capacidade suficiente (isso se houver interesse, infelizmente) para criar!! Não precisam sair versos decassílabos em formato de sonetos perfeitos!! Mas o que é, de fato, importante, está oculto, pois "o essencial é invisível aos olhos".
Estamos num mundo atolado de "pocotós" e de "plagiadores" incompetentes por conta do desuso dos neurônios. Até quando permaneceremos nesse mundo? Até o dia de nossa morte... mas o que aguça ainda mais minha tristeza é ter que enxergar que essa decadência e a chegada ao "fundo do poço" são iminentes.
O número dos que ainda insistem em criar, que lutam por projetos, dos que são "anônimos" artistas COMPOSITORES está cada vez menor, escaço... Não tardará o dia em que veremos nossos filhos, distante dos devidos cuidados, sendo verdadeiros clones das porcarias atreladas à mídia, dos plagiadores e das velhas "vitrolas" de discos arranhados...
Por fim, "há sempre uma escolha, há sempre um caminho que as folhas no chão vão indicar"♪... Basta querer absorver e peneirar o que oferece o caminho, pois o caminho existe por si só, e não necessita de "espelhos de si"...

Paz e bem a todos!!!

Um comentário:

  1. Realmente camarada!!! Também tenho vontade de desabafar e escrever um post sobre isso!!! Não só em questão da música mas da arte em geral! Claro que direcionando a tantos jovens que hoje em dia sentem-se motivados para tocar pra Deus! Que muitos jovens leiam esse seu artigo!

    ah! mudei o nome do meu blog, pensei que o link seria direcionado mas nao foi... hehe, agora to trocando tudo nas minhas redes sociais
    já que vc tem o meu aqui: http://canticospelapaz.blogspot.com/
    abraços em Cristo!!!

    ResponderExcluir