Total de visualizações de página

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Eloqüente...

Melodias vagueiam meus pensamentos
Fazendo-me cair em devaneios cintilantes
Cujos aspectos são belos e deslumbrantes
Reflexos mudos de amor não efêmeros...


E o semblante transforma-se com o olhar
Do sol sobre mim, que nada sei que sou
Senão o que pensaria ser, senão o vaguear
De um momento acerca d'algo que restou...


Versos que não descrevem nada, tudo e algo
Que não é importante... mas o inverso do fato
Que é pensamento silenciado, ó inspiração!


Alma pútrida que não cala o anseio na canção
Que expele, sultimentemente, por vaidade...
Esta, inexistente... sendo veemente verdade...



Dedicado ao amigo de caminhada, músico e escritor William. Deus o abençoe pela sapiência e tenacidade na fé ^^ 
Paz e bem a todos ^^ 

3 comentários:

  1. Lindo.. expressa a verdade, uma verdade mtas vezes cruel porém necessária. Me fez pensar que muitas vezes o que pessoas acham completamente desnecessário ilusório e impossivel pode ser p mim mais da metade de meus anseios e toda a minha esperança. Bom.. parabéns ficou realmente maravilhoso, amo seus poemas ^^ , o interessante é que cada pessoa lê de uma forma diferente dependendo da situação que está vivendo. (bb)

    ResponderExcluir
  2. olá Lelo!!! brilhante cara!!! ler escritos assim inspiram-nos muito!!! Referência consumada teus escritos, não é atoa que somos blogueiros parceiros, porém mais que isso... na nossa pobreza, à serviço do Senhor!!! Abraços fraternos em Cristo!!!

    ResponderExcluir