Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Silêncio... (parte 1 - a reflexão)

"O silêncio é o mestre dos mestres, pois ensina sem falar..." (São Bento Abade)

Aos beneditinos, uma forma inteligentíssima de se aprender alguma coisa é buscando o silêncio... A bíblia nos mostra que "só no silêncio ouviremos a voz do Pai...". O que deveria ser isso?! Que "silêncio"? Por que silenciar?
O mundo moderno traz inúmeras possibilidades de todos os tipos para todas as coisas... e vamos perdendo algumas essências fundamentalmente importantes. Tais "coisas para todas as coisas" fazem com que as busquemos mais e sempre mais, ininterruptamente! Pois o ser "humano" necessita estar inserido no todo. Necessita? Por quê?
De fato, o que me trouxe aqui à pensamentos avulsos foram questões que, além de catequese, envolve relacionamento pessoal (e a catequese é fundamental para bons frutos de relacionamento - postarei, quem sabe, num futuro remoto, algo sobre catequese... pois também sou catequista ^^) e o enquadrar-se com o todo. Para quê se enquadrar? Essa deveria ser a pergunta... e não "Por quê?".
O barulho do "universo capitalista", urbano, onde cães ladram ferozmente e, ao se depararem com um gato que sabe "arranhar", recolhem-se formidavelmente atônitos, é o que mais intriga meus pensamentos...
Eis-me aqui tentando buscar discorrer acerca do "Silêncio" e ainda sem mencionar nada diretamente sobre o mesmo... Ante tantas abstrações, venho percebendo que não há reflexões, pela grande massa absoluta, sobre o que é importante de fato! É, deixei claro que isso me incomoda (?!)... Mas que o que me satisfaz, ainda que incômodo, é o fato de poder continuar observando... e vendo que o que está escrito está acontecendo...(leiamos a fonte absoluta de reflexão e sabedoria: a bíblia :) ) Se pudesse, escreveria infindáveis e ininterruptas linhas a fio, que permeassem todas as possibilidades temáticas... e que fizessem alguma semente brotar no coração de cada leitor (será que lerão esse primeiro ensaio algum dia? não sei...) e que esta mesma semente pudesse gerar árvores de carvalho.
O que temos feito de nossas vidas, retomando o princípio temático, senão "preencher o vazio com coisas vazias"? Incluo-me também, pois estou em busca de ser preenchido com as maravilhas do que mais tenho crido em vida: DEUS. Ah! doce abstração?! Não... prefiro chamar de "concreta abstração" :) posto que tenho aprendido tanto... E eis-me aqui... tentando fundamentar algo que ainda não saiu do lugar...
Não espero já estar gerando algo na mente de quem ler, mas me satisfaço por já estar fazendo algo além que me "estagnar naquilo que e vazio", sem poder algum de reflexão... :) Feliz por estar sendo diferente (como diz a canção do Diego Fernandes com o Rosa de Saron "Tenho que ser diferente e ser eu mesmo também, Amar sem preconceitos, viver os meus preceitos e não rotular ninguém, hoje eu acordei com vontade de viver! LIVRE PARA AMAR, LIVRE PRA RESPEITAR, LIVRE PRA PERDOAR, SER LIVRE E NUNCA DESISTIR DE SONHAR"♪ Liberdade... e não uma pseudo-liberdade que me torna frágil perante simples reflexões do que tendo sido :)
Há muito barulho lá fora, que busca me manter isento de reflexão... que consegue preencher os meus dias com coisas vis, torando-me vazio :) E mais... "por que eu não consigo me libertar disso, já que sou 'livre'?". É formidável poder pensar nisso... e ter como explanar alguns devaneios... ou... utopias... ou, quem sabe um dia, pensamentos veementemente concretos... mas, como ainda matemático, tenho crido cada vez mais que existe uma P.G. que transporta minhas certezas ao que já tenho refletido acerca da humanidade... Não cessarei de lutar contra um mundo vazio, mas a Verdadeira Sabedoria já me disse antecipadamente que tem algo inevitável... e que é contra isso que não posso lutar, pois já está escrito :)

O segundo momento é "A justificativa" :)
(...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário